Página InicialLogin
Um Breve Histórico
As Sessões
Biodanza & Educação
Biodanza nas Organizações
Eventos
Espaço Biocêntrico
A Facilitadora
Contato
Um Breve Histórico

 

Um breve histórico.

Sua origem...

      A dança da qual falamos é Biodanza, criada na efervercência da década de 60 pelo antropólogo e psicólogo Rolando Toro. Na época como membro docente do Centro de Estudos de Antropologia Médica da Escola de Medicina da Universidade do Chile e professor de Psicologia da Criatividade da Universidade Católica do Chile iniciou seus estudos sobre o poder terapeutico da dança e da música. A partir de investigações e experiências, Rolando Toro cria  a base do modelo teórico de um sistema potente que viria tomar o mundo. Hoje o Sistema Biodanza está difuso em diversos países da América Latina e Europa.

O conceito
 
      “Biodanza é um sistema de integração afetiva, renovação orgânica e reaprendizagem das funções originárias da vida, baseado em vivências induzidas pela dança, pela música e por situações de encontro em grupo.”
Rolando Toro apresenta três pontos fundamentais da atuação do Sistema Biodanza sobre o participante:

Integração afetiva - É o reestabelecimento da unidade perdida entre ser humano e natureza. O núcleo integrador é a afetividade que influi sobre os centros reguladores límbico-hipotalâmicos, os quais, por sua vez, influem sobre os instintos, vivências e emoções.

Renovação orgânica - É a ação sobre a autorregulação orgânica. A renovação orgânica é induzida principalmente através de situações especiais de transe que ativam processos de reparação celular e regulação global das funções biológicas, diminuindo os fatores de desorganização e estresse.

Reaprendizagem das funções originarias de vida - É aprender a viver a partir dos instintos. O estilo de vida deve ter coerência com os impulsos primordiais de vida. Os instintos têm por objeto conservar a vida e permitir sua evolução.

      Sobretudo, a Biodanza é um sistema de autodesenvolvimento, profundamente terapeutico e sabiamente pedagógico. Terapeutico porque faz aflorar os potenciais humanos necessários para uma vida plena e saudável. Pedagógico porque reaprendemos a partir do dispertar e do desenvolvimento desses potenciais estar  na vida de maneira criativa e sensível.